Primeiro babador

Ontem foi o dia que resolvi colocar a mão na massa e fazer um projeto do começo ao fim na máquina de costura mesmo sem ter a habilidade para tanto.

Preciso praticar e entender melhor as manhas deste mundo, e a abordagem que pretendo seguir é uma ao estilo fake it until you make it, já que sou um completo analfabeto do mundo da moda e minha descoordenação motora é digna de um veterano da guerra do Vietnã, cego de um olho, com glaucoma no outro, duas mãos esquerdas e mal de Parkinson.

Em busca de projetos fáceis e potencialmente úteis, pensei em duas coisas:

  1. Consertar dois bolsos furados de uma jaqueta.
    • Pois bolso sem furo é bom e eventuais costuras mal-feitas ficarão escondidas do mundo.
  2. Babadores para nenês.
    • Estou naquela fase da vida onde os irmãos, parentes e amigos começam a procriar. Presentear quem já gosta de mim com algo cuja chance de sair mal feito é real parece ser uma alternativa com pressão e responsabilidade menores.

Materiais

Comprei:

  • Retalho de pano preto para o bolso.
  • Para os babadores, vi na web que muitos tinham um lado deles atoalhado, então comprei umas toalhas bem pequenas, deve ser algo tipo 40cm x 30cm, custou R$1,50 cada.
  • Retalhos de pano estampado para a outra face do babador (acho que foi R$ 2,50 o retangulo de tamanho parecido com a toalha, achei caro)
  • Botões de pressão costuráveis.
  • Giz
  • Linhas coloridas
  • Um cortador circular taiwanês que não inspira confiança (30 contos!!)

Mais o que eu tinha em casa:

  • papel milimetrado A3
  • um CD
  • um Vinil de 7 polegadas
  • uma mesa de ping-pong achada no lixo (minha base para cortes)
  • ferro de passar roupa
  • prendedores de papel (poderia ser alfinetes)

O molde

Existem milhares de moldes de babador prontos na web, o nome em Inglês é Bib. Eu poderia baixar qualquer um dos PDFs, imprimir e usar. Mas fora o fato de eu não ter impressora, vamos concordar que não é uma peça de roupa super complicada de se criar… e rabiscar é divertido!

Preferi criar um próprio (inspirado pelos resultados do Google Image Search é bem verdade).

Minha única dúvida era: O pescoço de uma criança cabe num furo do tamanho de um CD?

Após descobrir que sim e de testar algumas formas, cheguei neste desenho:

IMG_8917

IMG_8918

Etapa 1: Marcar os tecidos

Passe bem o pano e a toalha para ficarem retos, coloque o molde por cima e marque com o giz. O ideal é riscar com o giz o verso dos panos.

Eu comi bola nesta etapa e risquei um dos lados ao contrario, espelhado, só vi depois que ja tinha cortado, isto me impediu de botar "frente com frente" na hora de costurar, por sorte o pano estampado era igual na frente e no verso, mas isto fez com que marcas de giz aparecessem no produto final.

Etapa 2: Cortar os tecidos

Não corte o pano rente às marcas do giz! Outro erro de iniciante que minha namorada conseguiu detectar rapidamente e me impedir de por tudo a perder.

O recomendado é cortar com uma margem de pelo menos um centímetro a mais que o molde para dar um excesso de pano a ser puxado pela máquina na hora de costurar.

Etapa 3: "Alfinetar"

A idéia geral quando se costura coisas com dois lados, é tirar proveito do fato que uma costura quando virada do avesso não aparece muito e não denuncia as coisas tortas. Ou seja, a idéia geral é unir os dois lados certos, frente com frente, costurar sem fechar a volta completa, deixando um buraco. E depois por este buraco virar tudo do avesso.

Então, a idéia desta etapa é colocar os dois panos cortados um de frente pro outro, fazer as marcas do desenho baterem e prendê-los nesta posição, seja com alfinetes, clipes ou prendedores de papel. O lado de fora deve ser os dois avessos, a parte que você quer que fique do lado de dentro ao final.

Etapa 4: Costura!

O momento mais aguardado, o ideal é que você tenha praticado minimamente a habilidade de controlar a velocidade da maquina com o pé, saiba não desesperar na hora das curvas, só pisar no acelerador quando a agulha estiver dentro do pano e só levantar o pézinho para girar o pano também quando a agulha estiver dentro do pano.

A idéia desta etapa é costurar em cima dos riscos (tirando os alfinetes ou prendedores quando eles forem se aproximando da agulha) por quase todo o contorno. O tamanho do ponto não precisa ser super pequeno, eu usei o 3, mas vi na web quem usasse 3,5.

O importante é lembrar de não fazer a volta inteira! Tem que ficar um buraco meio grande para poder virar o babador todo do avesso, algo em torno de 3cm ou 4cm.

Etapa 5: Virar do avesso

Dependendo de aonde você deixou o furo e do tamanho dele, esta etapa pode ser bem chata, se for preciso use algum cabo de talher, chave de fenda ou algo do tipo para te ajudar a socar o pano de dentro para fora do buraco.

Depois de virada, as faces esperadas devem estar ja no lugar certo e o babador praticamente pronto, um bom momento para pegar o ferro de passar e marcar bem os limites corretos caso queira prosseguir para o próximo passo.

Etapa 6: Arremate decorativo

Uma vez com o babador virado do lado correto, vc pode fazer uma costura perto das margens em toda a volta (e se possível ja usar isto para tapar o buraco também). A linha do carretel é a cor que sairá por cima e a linha da bobina a cor que sairá por baixo. Da para usar zigue-zague ou outro ponto decorativo da máquina para esta etapa.

Etapa 7: Pregue os botões

Aqui é na mão mesmo, a dica é ja enfiar na agulha a linha dobrada para que você tenha que costurar menos voltas.

IMG_8910

Conclusão

Achei um primeiro projeto adequado, cobre conceitos que são importantes e o nível de dificuldade é baixo. Digo, fazer um babador, ainda que torto, é simples. Requer pouco pano e é bom para praticar. As curvas ainda são um problema, e eu já quero fazer o desenho de um outro molde, mais simples e com buraco hexagonal :P

Fabricio Campos Zuardi

Read more posts by this author.

Subscribe to Egoísmo duplicado

Get the latest posts delivered right to your inbox.

or subscribe via RSS with Feedly!